O presidente Luís Inácio Lula da Silva assinou o segundo pacote para igualdade racial no Dia Nacional da Consciência Negra.

PONTO A PONTO – Consciência negra

A Organização das Nações Unidas (ONU) traçou metas para atingir o desenvolvimento sustentável até 2030 e seu objetivo é a redução da desigualdade racial.

 

No Dia Nacional da Consciência Negra, o presidente Luís Inácio Lula da Silva assinou o segundo pacote visando a igualdade racial. Dentre as iniciativas, estão a concessão de novos títulos de terras para territórios quilombolas, a implementação de programas nacionais e editais destinados ao combate do preconceito racial, além de ações voltadas para assegurar o acesso e a permanência de indivíduos negros no ensino superior.

As Nações Unidas estabeleceram metas para o desenvolvimento sustentável até 2030, com foco na redução da desigualdade. No contexto brasileiro, existem 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e o presidente Lula busca incluir mais um, o 18º, direcionado especificamente para a desigualdade.

Essas medidas refletem um compromisso com a promoção da igualdade racial e o combate às disparidades presentes na sociedade, buscando alinhar as ações do Brasil com os objetivos globais de desenvolvimento sustentável.

Javier Milei foi eleito o novo presidente e terá que lidar com uma grave crise econômica. O país sofre problemas na inflação considerada altíssima, sendo 140% em 12 meses, devido a desvalorização da moeda nacional, falta de reservas e o aumento da pobreza.

PONTO A PONTO – Javier Milei novo presidente

Javier Milei foi eleito o novo presidente e terá que lidar com uma grave crise econômica. O país sofre problemas na inflação considerada altíssima, sendo 140% em 12 meses, devido a desvalorização da moeda nacional, falta de reservas e o aumento da pobreza.

 

No último domingo, Javier Milei foi eleito como o novo presidente da Argentina, assumindo o cargo em meio a uma crise econômica significativa. O país enfrenta problemas sérios de inflação, registrando uma taxa de 140% nos últimos 12 meses, resultante da desvalorização da moeda nacional, escassez de reservas e aumento da pobreza.

Durante sua campanha, Milei propôs medidas econômicas radicais para lidar com esses desafios. Uma delas é a renúncia à moeda nacional (Peso), a extinção do banco central e a dolarização da economia. No entanto, especialistas apontam que a implementação dessas propostas pode encontrar obstáculos, uma vez que Milei não conta inicialmente com uma base ampla no Congresso.

A situação econômica da Argentina e as medidas propostas por Milei serão acompanhadas de perto. Para mais informações e atualizações sobre a presidência de Javier Milei e o panorama econômico argentino, recomenda-se ficar atento à Lig TV Digital.